Selecione uma localidade

Alma de Marinheiro


Alma de Marinheiro

Entender o tempo... Taí uma coisa que os navegadores e poetas aprendem muito cedo. Quando entendemos o tempo, é como se a alma tomasse um banho de sentimentos. É como assistir ao casamento do passado com o futuro e vê-los dar à luz ao presente.

O presente! ... A única e fugaz fração do tempo que realmente nos pertence. É preciso entender isso e amar a natureza para aproveitar as pequenas coisas que a vida nos oferece e que realmente nos completam.

Para nós, marinheiros, vivenciar tais coisas é tão necessário quanto se alimentar todos os dias. Pisar na areia, observar o mar, a montanha, os animais, a floresta, a tempestade, a calmaria, a lua, as estrelas... entender o céu.

Sentir o vento, pensar no tempo, festejar o nascer do sol, constatar seu ápice e refletir sobre seu ocaso... Enfim: Amar... entender os sentimentos e constatar a presença do Divino em nós.

Estes são nossos combustíveis da alma e exilar-se deles, é não respirar mais.

Bons ventos,

Francisco A. de Góis

Design engineer, velejador, capitão amador e diretor na https://www.daggermarine.com.br/

 

Crônica