Selecione uma localidade

Viagem a Ítaca!


Um velejador escreveu:

As vezes quando estou velejando e alguém me pergunta: para onde você está indo? Então respondo: Ítaca. 

Alguns não entendem ou questionam onde é.

 

Transcrevo aqui o poema: 

 

"Quando você partir, em direção a Ítaca,

que sua jornada seja longa

repleta de aventuras, plena de conhecimento.

 

Não tema Laestrigones e Cíclopes

nem o furioso Poseidon;

você não irá encontrá-los durante o caminho,

se você não carrega-los em sua alma,

se sua alma não os colocar diante de seus passos.

 

Espero que sua estrada seja longa.

Que sejam muitas as manhãs de verão,

e que o prazer de ver os primeiros portos

traga uma alegria nunca vista.

Procura visitar os empórios da Fenícia

e recolha o que há de melhor.

Vá as cidades do Egito,

e aprenda com um povo que tem tanto a ensinar.

 

Não perca Ítaca de vista,

pois chegar lá é o seu destino. 

Mas não apresse os seus passos;

é melhor que a jornada demore muitos anos

e seu barco só ancore na ilha

quando você já estiver enriquecido 

com o que conheceu no caminho.

 

Não espere que Ítaca lhe dê mais riquezas. 

Ítaca já lhe deu uma bela viagem;

sem Ítaca, você jamais teria partido.

Ela já lhe deu tudo, e nada mais pode lhe dar.

 

Se, no final, você achar que Ítaca é pobre,

não pense que ela lhe enganou.

Porque você tornou-se um sábio, e viveu uma vida intensa,

e este é o significado de Ítaca."

 

Constantino Kabvafis (1863-1933) 

in: O Quarteto de Alexandria - trad. José Paulo Paz.

Histórias Informação